quarta-feira, 20 de agosto de 2014

O fascinante Mundo das Formas

O que é uma forma geométrica?
Quando desenhamos um quadrado, um triângulo ou um retângulo, traçamos representações gráficas de figuras geométricas. Portanto, a definição clássica de um objeto geométrico é analítica. Por exemplo, um círculo é um conjunto de pontos em um plano, equidistantes de outro ponto chamado centro.
Toda criança é capaz de reconhecer uma forma muito antes de aprender sua definição formal. No entanto, mesmo que em seu primeiro ano de vida ela consiga reconhecer e organizar as formas, ainda está longe de representá-las. A construção do espaço representativo, que começa com o entendimento da função simbólica, exige a redescoberta dessas relações.
Portanto, no processo de aprendizagem, é preciso distinguir as atividades que propõem a percepção e o reconhecimento das formas, de um lado, e sua representação e reprodução, de outro.

Jogos de reconhecimento
O primeiro passo na incorporação do conceito de forma é reconhecer sua enorme variedade e as características de cada uma. Obviamente, é aconselhável começar com as mais simples. Você ficará surpreso ao ver com as crianças são fascinadas e se divertem com essas descobertas.
Recorte triângulos, quadrados e retângulos em papéis de cores variadas. Em seguida, descreva as formas: o triângulo tem três lados, o quadrado possui quatro lados iguais, e o retângulo, dois lados iguais.
Por último, espalhe por vários lugares da casa as diferentes formas geométricas, e em um saco, papéis com seus nomes. A criança deve tirar um papel por vez, lê-lo e tentar localizar a forma. Se jogar com irmãos ou amigos, ganha o participante que tiver encontrado o maior número de formas.

Jogos de encaixe
São dirigidos a crianças a partir de um ano de idade e servem para treinar o reconhecimento de formas tridimensionais. Consistem em uma com orifícios na tampa, onde são encaixados objetos de formas quadradas, circulares ou triangulares.
O desafio tem duas fases: primeiro, a criança deve identificar a peça que irá utilizar e depois encaixá-la no orifício correspondente. Em crianças menores, a fase de identificação da peça geralmente é substituída por uma avaliação visual. Se não conseguir, tenta encaixá-la em outro orifício, e uma vez obtido o encaixe, ela o repete várias vezes até chegar à solução. O passo seguinte é a memorização, a ligação entre as peças e seus respectivos encaixes, e a eliminação da avaliação visual.
O jogo tem outra função, que é estimular a associação entre cores e formas. Por exemplo, se os cubos forem de cores diferentes, a criança aprende que essas figuras são iguais entre si, mas que se diferenciam pela cor.

Desenhar e construir
Para as crianças maiores, que já começam a representar e a reproduzir as formas, o ideal é pedir que as desenhem, recortem ou pintem. Um jogo que pode integrar essas três atividades é a montagem de um quebra-cabeças. Subdivida uma folha em partes cujo contorno coincida com figuras geométricas. Em um segundo momento, as figuras são pintadas em diferentes cores, e por último, são recortadas. Depois de separadas as peças, o desafio é voltar a montá-las e recompor a folha.
Você também pode usar cubos encaixáveis e pedir que seu filho reproduza uma série de figuras. O jogo ficará mais simples se ele identificar os modelos com formas figurativas facilmente reconhecíveis: escadas, um edifício, um carro, etc.

Conselhos úteis

Como em tantas outras áreas do conhecimento, lembre-se de que as crianças pequenas aprendem brincando. Como ainda não são capazes de fazer abstrações, a brincadeira permite simular situações que as aproximam de forma mais vívida dos conceitos. Portanto, não faz sentido obrigar seu filho a brincar com jogos de encaixe ou ler livros sobre as formas, por mais didáticos que sejam, se ele não estiver com vontade. Mas se a atividade sugerida for divertida, ele conseguirá incorporar o conhecimento.
As crianças chegam à escola com noções previamente adquiridas em família. No caso das formas, elas sabem que algumas têm "pontas" e outras têm lados "certinhos". Da quantidade e qualidade da exposição a essas noções dependerá, em grande parte, o sucesso de seu aprendizado.



Fonte e foto: Discovery Kids

domingo, 17 de agosto de 2014

Sugestões na hora de impor limites

Uma das tarefas mais difíceis para os pais é impor limites aos filhos. Mesmo estando de acordo sobre a importância desta tarefa, muitos pais variam entre muito rigorosos e excessivamente liberais. Vamos apresentar aqui algumas 
propostas para estabelecer limites. 


Capacidade de espera
Os limites são bons para fortalecer a capacidade de espera dos filhos. Quando nascem, os bebês querem que suas vontades sejam atendidas imediatamente, e os pais fazem de tudo para atendê-los. 
À medida que cresce, a criança aprende a esperar por meio da socialização, além de ter acesso a substitutos para os objetos primários de satisfação, como a chupeta, por exemplo, que substitui o seio materno. 
Quanto maior a capacidade de espera, mais complexos se tornam esses substitutos. Uma criança pode se acalmar e esperar quando falamos, cantamos ou contamos uma história. 

Os limites ensinam a criança a adiar seus desejos. Eles a preparam para situações parecidas que irá enfrentar ao longo da vida. 

Tolerância à frustração
É imprescindível que a criança entenda que os pais às vezes dizem "não", e que não há como mudar tal decisão. A frustração que isso gera é inevitável, mas é importante aprender a lidar e conviver com esse sentimento porque são as regras, precisamente, que lhe darão segurança e ensinarão a confiar em um critério sólido. Se uma criança for mais forte que os pais, não vai se sentir protegida por eles. 
Se fizer birra ou ficar irritada, é possível distraí-la ou acalmá-la com um abraço, mas nunca faça de conta que não está percebendo o que está acontecendo. Depois que tudo estiver tranquilo novamente, é importante conversar. Isso fará com que a criança aprenda com a experiência. 

Entre a explicação e a rotina
O ponto de partida para impor um limite é explicar o porquê dessa imposição. Se o filho compreende o motivo da criação de uma regra ficará mais predisposto a obedecê-la. Isso também o ajudará a construir uma consciência própria de que valores de comportamento são importantes. Na hora de dar uma explicação é importante ser direto para não distrair a criança com rodeios desnecessários. É só dizer: "Empreste os seus brinquedos, porque assim seus amiguinhos também vão emprestar os deles para você". 
Depois de imposto, é imprescindível que o limite seja sempre respeitado. Cada vez que surgir uma situação que exija a regra imposta, é importante ressaltá-la. Desse jeito não sobra espaço para a resistência ou a negociação e ela se tornará um hábito. Principalmente se a regra é uma rotina familiar, como a hora de ir para a cama. 

Por que insistem em desobedecer?
Fazer com que seu filho aprenda a se comportar é uma tarefa muito difícil. Se ele insiste em desobedecer é sempre bom analisar, primeiro, se está realmente entendendo as regras. Muitas vezes parece que nos expressamos claramente, mas, na verdade, nosso filho não entende exatamente o que dizemos ou como fazemos alguma coisa. Também é possível que algo esteja atrapalhando a paz familiar: o nascimento de outro filho, instabilidade no trabalho, mudança de casa ou de escola, doenças ou divórcio. É provável que a desobediência seja a maneira que o filho encontra de mostrar que não está feliz com uma nova situação. 
Por último, essa desobediência pode ser uma maneira de pedir carinho. Se os pais parecem bravos e inflexíveis quando impõem um limite, é possível que a criança pense que não é querida. Daí a importância de demonstrar firmeza sem perder o afeto. 

O que fazer com os castigos e os prêmios?
Os castigos devem ser usados para corrigir uma atitude. Estes podem ser a privação de algo que tenha relação com o que a criança está fazendo. Por exemplo: "Se você tirar o tênis para brincar no parque nós vamos voltar para casa". É importante que isso seja dito logo depois que a criança apresente o mau comportamento para que ela possa estabelecer rapidamente uma associação. 
Muitos pais usam prêmios para fazer com que os filhos sigam as regras. É importante ter cuidado para evitar o abuso dessa estratégia. A criança pode se acostumar rapidamente a negociar o prêmio, esquecendo que a verdadeira função de uma regra é fazer o melhor para ela e para as outras pessoas. 

Respeito aos adultos
É importante ensinar os filhos a respeitar os adultos. Para isso, deve-se partir do princípio de que devem respeitar outros adultos como respeitam os pais. Esse comportamento nasce do amor e do respeito que demonstramos. Não podemos esperar que uma criança seja atenta e educada com a mãe se ela fala palavras feias, grita, diz mentiras ou bate no filho. Lembrem-se que os filhos aprendem o que vêem. 
Não é preciso esperar que eles cresçam para serem educados nesse sentido. Trata-se de uma aprendizagem que começa no nascimento e se desenvolve por toda a infância. O mais importante é dar o exemplo. 

Relação entre a família e a escola
A responsabilidade de educar um filho é muito grande. Essa educação oferece às crianças condições de se integrar ao mundo e à cultura com respeito e tolerância. 
Essa tarefa não pode ser atribuída à escola. Os pais precisam assumir o compromisso de ensinar os filhos a se comportar. Quantas vezes ouvimos pessoas dizerem: "Na escola ele é um anjo, mas em casa é desobediente". 
A obrigação de ensinar a se comportar não é exclusivamente da escola. Se isso é bem aplicado na escola, também precisa ser bem aplicado em casa. Se na creche a criança come sentada e espera sua vez para falar, precisa ter o mesmo comportamento em casa. 
A relação entre a família e a escola precisa ser fluente e presente. Se não for assim, será difícil a criança adotar bons hábitos e haverá espaço para a criação de conflitos de autoridade. 

Fonte: Discovery Kids

Agora está confirmado #setembro NOVA LOJA !!! #mundodacriança
#aguarde Você vai se encantar!!! Avenida Parobé, 4375, Scharlau - São Leopoldo. Os melhores brinquedos, playgrounds e pracinhas :www.mundodacriancars.com.br


segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Volta às aulas: confira dicas para as crianças retomarem a rotina

Seu filho está triste com o fim das férias? Confira dicas para transformar a volta às aulas em um momento prazeroso.


Foto: Getty Images

Fim de férias costuma ser um momento de apreensão para as crianças.  Para que o segundo semestre do ano letivo seja bem aproveitado é preciso retornar à rotina gradativamente. 

De acordo com a psicóloga e terapeuta familiar Miriam Barros, "antecipar o horário de ir para cama e acordar é essencial. O processo deve ter início quatro dias antes do início das aulas. No primeiro dia é comum que a criança relute e demore a pegar no sono, mas ao longo da semana a rotina voltará ao normal". Veja outras dicas abaixo para facilitar a retomada da vida escolar dos pequenos:
1

Material escolar

Mochila, estojo e cadernos novos são itens necessários ao ano letivo, mas também podem fazer parte de um processo estimulante. "Envolver as crianças na compra do material escolar e do uniforme ajuda a aproximá-las do retorno às aulas. Folhear os livros junto com os filhos ajuda a aumentar o interesse pelos temas que serão abordados ao longo do segundo semestre do ano", explica Miriam Barros.
2

Primeiro dia de aula

De acordo com a psicóloga Elisabeth Gelli, especialista em educação, é preciso preparar o terreno com antecedência. "O mais importante é manter o vínculo de confiança entre a criança e o ambiente escolar. Lembrar que ela irá rever os professores e os amigos, além de aprender coisas novas", diz a psicóloga. Ela reforça a ideia de que o primeiro passo para que a criança goste de retomar os estudos é a escolha da escola: "Quando os filhos estão felizes naquele ambiente, não encontrarão problemas em retornar". Para Miriam Barros, a criança precisa se sentir tranquila no ambiente escolar. "Permitir que a criança leve um brinquedo pode ajudar na readaptação", sugere a psicóloga. 

3

Escola nova

Para crianças que começam o segundo semestre do ano letivo em uma nova escola, é interessante estimular a familiarização com o novo espaço. "Leve seus filhos para visitar a escola com antecedência. Assim eles poderão conhecer os professores, salas de aula e ainda os ambientes próprios para o lanche, os esportes e o recreio", diz a psicóloga Elisabeth Gelli. Escolas para crianças menores costumam oferecer dias de adaptação, em que o pai e a mãe ficam na escola.


4

Independência

Deixar a mochila dos filhos preparada parece muito mais fácil do que ensinar as crianças a organizá-la. No entanto, a psicóloga Miriam Barros explica que a independência é importante para a autoestima das crianças, e ainda pode estimulá-las no retorno aos estudos. "Aos 5 ou 6 anos, a criança já pode deixar o uniforme arrumado na noite anterior. Com 8 ou 9 anos, a maioria das crianças já é capaz de preparar o próprio lanche para o recreio. É importante que as crianças sintam que são capazes de cuidar das próprias coisas, mas não vale tornar a prática motivo para brigas e discussões", recomenda a psicóloga Miriam Barros.
5

Hora de lazer

Conhecendo o currículo escolar, os pais podem, nos momentos de lazer, estimular o interesse das crianças pelos temas que serão abordados em sala de aula. "Uma visita ao zoológico, por exemplo, pode ensinar muito para uma criança", explica a psicóloga Elisabeth Gelli. Viagens, museus, parques verdes e praias também apresentam um mundo novo aos pequenos, mas a psicóloga Miriam Barros reforça a necessidade de não transformar os passeios em momentos de estudo: "Os estímulos devem acontecer de forma tranquila e sem cobranças. Durante as férias as crianças precisam, principalmente, brincar e descansar, sem ter a preocupação de aprender algo". Ela explica que o mesmo vale para os fins de semana e feriados em família. 

Fonte: GNT

domingo, 3 de agosto de 2014

Será que você sabe impor limites nas crianças?


Uma das tarefas mais difíceis na hora de educar as crianças é impor limites. Os pais precisam entender que algumas atitudes, por mais duras que possam parecer, são necessárias para a formação da personalidade e desenvolvimento dos pequenos. Em uma entrevista para o portaliG Delas, a psicóloga neozelandesa Diane Levy, autora do livro É Claro que Eu Amo Você... Agora Vá para o Seu Quarto!, fala que reconhecer e evitar estratégias exaustivas e inúteis torna os pais mais convincentes em suas ordens ou instruções.
Os pais são o modelo no qual a criança vai se espelhar. Eles são os responsáveis em “moldar” a personalidade dos seus filhos. Não espere que os problemas apareçam para depois solucioná-los. A criança aprende a ter limites a partir do respeito. Tenha diálogo e comece a educá-las desde cedo para serem pessoas criativas, independentes e com autoestima. Quando os pais não conseguem estabelecer regras e limites, a criança passa a se sentir insegura e tem dificuldades em lidar com perdas, frustrações e acabam manipulando os pais.
Será que existem técnicas para impor limites? O guia abaixo, desenvolvido pelo portal Uol Mulher, detalha algumas técnicas úteis para pais e mães usarem com os pequenos.
Para crianças de 0 a 1,5 anos
- Para incentivar um comportamento desejável e positivo, bata palmas e sorria.
- Bebês aprendem por repetição. Ao levar a colher à boca da criança, a mãe pode abrir a boca junto para que ele possa repetir.
- Bebês entendem o tom de voz. Por isso, fale com carinho, suavidade e clareza.
Para crianças de 1,5 a 3 anos
- Abrace e elogie a criança sempre que ela comer tudo ou atender aos pedidos dos pais.
- Não grite ou altere o tom da voz com amigos e familiares se você ensina seu filho a não gritar com os outros. Lembre-se: você deve ser o exemplo.
- Não dê atenção enquanto a criança estiver chorando por manha. Quando ela voltar ao seu comportamento normal, dê abraços e faça elogios.
Para crianças de 4 a 6 anos
- Estimule e valorize a colaboração da criança em pequenas tarefas.
- Estabeleça algumas regras simples, como não gritar, não bater a porta e não levantar da mesa antes de terminar as refeições. Você pode recompensar a criança com elogio e uma estrelinha no quadro (como na época da escola).
- Tenha diálogo com a criança. Explique porque ela não pode fazer determinadas coisas e ter determinadas atitudes.
Fonte: Calesita, CBNDiscovery Kids

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Recomenda-se uma brincadeira por dia com educação e amor à mistura

Uma ideia para cada dia do ano, sem espaço para desculpas de que entre pais e filhos não há lugar para a diversão todos os dias e para contrariar a ideia de que os mais pequenos só pensam em televisão e consoles.

Ao longo de 365 ideias, Andreia Vidal, a educadora de infância, autora do blog e da página do Facebook Pais Criativos Filhos Felizes e criadora das Gingubas, mostra o contrário no seu mais recente livro que propõe muitas atividades, mesmo em cinco minutos, com educação e amor à mistura.
Andreia Vidal, 34 anos, vive rodeada de energia. É educadora de infância em Cascais e tem dois filhos, Martim, de sete anos, e Camila, de quatro meses.  
Dois anos depois de ter lançado 365 atividades para fazer com os seus filhos(Esfera dos Livros, 2012), a autora regressa com 365 ideias para tirar os seus filhos de frente da televisão, um livro que pretende “lembrar a todos os pais que a felicidade não é uma meta, mas sim um estado de espírito que se deve cultivar na criança todos os dias, assim como se come, dorme ou respira”.
Em cada página do livro, ideias para brinquedos, receitas, decoração, presentes, experiências científicas e valorizar o sentimento da criança, uma “continuação” do que tinha feito em 2012 mas com “outras ideias criativas para educar, para desenvolver a criatividade das crianças e estimular a imaginação”. “Tentei encontrar outro tipo de ideias, mas com o mesmo nível de diversão!”, disse ao Life&Style.
Além de ensinar a fazer bolos, casinhas de bonecas, carros, jogos, presentes, e bolas gigantes de sabão, Andreia Vidal dedica um capítulo a propor ideias para “solidificar sentimentos e ajudar a criança a compreender melhor o que sente”. Um beijo especial de boa-noite, um jantar sem televisão, salientar as qualidades da criança e da família, podem ajudá-la a “sentir-se melhor consigo mesma, a ser mais segura e a saber lidar com as contrariedades de uma forma assertiva”, considera a escritora. “Para trabalharmos este lado, nada melhor do que promover o diálogo em casa!”, propõe.
“Temos sempre cinco minutos para os filhos"
A educadora confessa ao Life&Style que as crianças “andam mais estressadas e ansiosas” e que cabe aos pais estarem atentos de “uma forma mais responsável e séria”. "Acredito que os pais muitas vezes vêem os filhos com uns ‘óculos cor-de-rosa’, mas muitas vezes esses óculos não mostram necessariamente a realidade”. A solução passa por “muitas conversas com os professores e pessoas” que acompanham o dia-a-dia da criança.
Menos televisão e console
Andreia Vidal não é uma “fundamentalista” – “existem jogos que podem desenvolver capacidades nas crianças e programas de televisão muito interessantes” – mas lamenta que o pequeno Ecrã e o console tenham passado a ser as “babysitters dos tempos modernos”. “Acredito que é necessário encontrar um equilíbrio. Existem tantas atividades divertidas para se fazer com as crianças que, além de trabalharem competência, reforçam os laços afetivos entre pais e filhos!”, aponta.
Apesar de 365 ideias para tirar os seus filhos de frente da televisão ter sido acabado de lançar, a educadora já está a preparar o próximo trabalho, desta vez mais dedicado à primeira infância. Além das atividades que tem agendadas diariamente, começou também a pesquisar sobre técnicas que possam diminuir o stress e a ansiedade nas crianças. 
Enquanto não sai um novo livro, ficam 365 sugestões para preencher os dias das crianças e da família com “arte, diversão, criatividade e muito amor”.
Fonte: lifestyle

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Dicas de como lidar com os baixinhos quando voltam da escola com palavrões

Em casa, tomamos o maior cuidado para não sair nenhum palavrão na frente dos pequenos, mas não temos como controlar quando eles voltam sabendo palavrões da escolinha. Até por que, nessa idade, o aprendizado de palavras novas e a curiosidade ajudam a disseminar o mau hábito.

Para ajudar, separamos algumas dicas de como lidar com palavrões e pequenos xingamentos que eles possam aprender.
Confira:
1 - Tenha calma e tome cuidado na hora de reprimir o baixinho. O objetivo principal nesse momento é a educação e não devemos os fazer sentir alguma culpa ou vergonha.
2 - Explique com calma as situações em que essas palavras são utilizadas, que são ofensivas e as outras pessoas não gostam de ouvir.
3 - Caso os palavrões também venham de casa é melhor mudar os hábitos da família. Afinal, uma das melhores formas de ensinar é dando exemplo.
4 - O principal é ter paciência e, caso em casa realmente não tenham esse costume, se torna apenas uma fase que em breve passará.
5 – Evite que isso ganhe grandes proporções. Em alguns casos, as crianças vão entender que conseguem testá-los e assim irão repetir várias vezes, mesmo que na maioria dos casos não compreendam o real significado.
A principal dica é ter calma e paciência. Explique e mantenha-se firme que aos poucos conseguimos passar os ensinamentos para eles e essa fase chatinha passa.

terça-feira, 15 de julho de 2014

#promoção SEU FILHO ESTRELA DA NOSSA CAMPANHA! #participe


#promoção SEU FILHO ESTRELA DA NOSSA CAMPANHA! #participeREGULAMENTO

1-Data da promoção: de 12/07/14 à 12/08/14.

2-Participantes: Fica estabelecido que todos os clientes da loja Mundo da Criança/Real Brink podem participar desta promoção.
2.1 - Participantes: Poderão participar crianças de 6 meses à 12 anos.
2.2- Funcionários da loja: Não será permitida a participação de funcionários da promotora/empresa nem parentes em primeiro grau.

PROMOÇÃO, SEU FILHO ESTRELA DA NOSSA CAMPANHA!
3. COMO PARTICIPAR: Uma criança será sorteada para estreiar em todas as peças da campanha de inauguração de nova loja do Mundo da Criança, redes sociais e lojas por tempo indeterminado. Para participar é só levar uma foto 10x15cm e fazer a inscrição em uma de nossas lojas, se preferir pode enviar uma foto digitalizada com no mínimo 200kb em boa qualidade para o email: mundodacrianca.brincar@gmail.com. Todas as fotos serão publicadas na nossa página do facebookhttps://www.facebook.com/mundodacrianca.brinquedos, por ordem de chegada e no dia 15/08/2014, a partir das 18:00hrs será feito um sorteio na loja. A criança sorteada deverá comparecer com seu responsável legal em data e horário combinados, no estúdio fotográfico Multifoto, em São Leopoldo, caso não compareça perde o título e um novo sorteio será realizado.
4. PRÊMIO: A criança sorteada ganhará um Book da Multifoto, São Leopoldo, composto de 10(dez) fotos 15x21cm. Além disso, ganhará um brinquedo que é uma mesa de madeira com 4(quatro) cadeirinhas a escolha da Fábrica Mundo da Criança.
4.1. Troca do prêmio: Em hipótese alguma será dado outro prêmio ou o equivalente em dinheiro integral ou parcial.

5. Para participar da promoção não é necessário o pagamento de nenhuma taxa, nem compra ou indicação de nenhum produto.
6. Após a inscrição na promoção a foto cadastrada não poderá ser alterada.
7. Serão automaticamente desclassificadas fotos inadequadas, ou seja, aquelas que contiverem qualquer tipo de pornografia, calúnia, difamação, humilhação ou qualquer forma de discriminação.
8. As fotos não serão devolvidas, podendo ser usadas pela loja por tempo indeterminado.
9. Cada participando, pode se inscrever apenas uma única vez.
10. O período para produção da foto para a campanha deverá ser agendada pela loja em no máximo 10 dias após a divulgação do ganhador.
11. A inscrição implica na aceitação dos termos deste regulamento.
12. SORTEIO: Dia 15/08/14 será realizado o sorteio no endereço: Avenida Parobé, 4375, Scharlau, São Leopoldo, Rio Grande do Sul, na presença de pessoas da comunidade e a decisão é irrevogável.
12.1. O resultado será divulgado através da ligação para cada contemplado e em cartazes nas vitrines das lojas e redes sociais da Mundo da Criança e Real Brink. Será cedido direito de uso de imagem do recebimento do prêmio para divulgações futuras da empresa Mundo da Criança/Real Brink. O uso será por tempo indeterminado.

13. Nenhuma responsabilidade será assumida a Fábrica Mundo da Criança ou Real Brink por quaisquer problemas técnicos ou mau funcionamento decorrentes da conexão à internet que possam prejudicar o acesso a nossa Fan page, bem como ao preenchimento das condições de participação e outras ações requeridas para a efetiva participação nesta promoção, não limitadas às seguintes ocorrências que sejam resultantes de: erros de hardware ou software de propriedade do consumidor participante; defeito ou falha do computador, telefone, cabo, satélite, rede, eletroeletrônico, equipamento sem fio ou conexão à internet ou outros problemas decorrentes do acesso à internet do consumidor participante; erro ou limitação por parte dos provedores de serviços, servidores, hospedagem; erro na transmissão das informações; falha no envio e/ou recebimento de mensagens eletrônicas; atraso ou falha no envio e/ou recebimento de mensagens eletrônicas; congestionamento da rede e/ou internet e/ou do site de divulgação desta seleção; intervenções não autorizadas, sejam essas humanas ou não, incluindo, sem limitação, as tentativas de fraude, falsificação, ações de hackers, vírus, bugs, worms; a perda e/ou destruição de qualquer aspecto do site de divulgação desta promoção ou indisponibilidade temporária ou permanente deste, ressalvada a possibilidade da Fábrica Mundo da Criança a realizar a desclassificação das inscrições caso sejam detectadas e comprovadas ocorrências de fraude em qualquer uma de nossas promoções( Auto Likes, Compra de votos, Troca de votos em grupos e/ou troca de votos ou participantes que participem de grupos do ASK, trocas de likes, etc...) ou contas “Fake” no facebook.
14. Os responsáveis legais da criança concordam e, desde logo, autorizam à Fábrica Mundo da Criança, a divulgação, publicação ou comunicação dos nomes e imagens das crianças cadastrados por meio de todas as peças da campanha, mídia impressa, televisa, eletrônica e/ou por qualquer outro meio necessário para a eficaz comunicação dos resultados desta promoção, sem qualquer ônus à Fábrica Mundo da Criança por tempo indeterminado.
15. Os responsáveis legais da criança desde já, cedem, a título gratuito e de forma definitiva e irrevogável, à Fábrica Mundo da Criança os direitos de uso das imagens desenhos/fotos, direitos conexos decorrentes de suas participações nesta promoção, autorizando a divulgação da imagem, nomes, por quaisquer meios de divulgação e publicação, para utilização comercial ou não, publicitária, promocional e/ou institucional, pela Fábrica Mundo da Criança, sem limitação do número de veiculações, incluindo em filmes publicitários e institucionais veiculados em toda e qualquer forma de exploração audiovisual (inclusive, mas sem limitação, em filmes cinematográficos, fitas magnéticas ou digitais, DVD, home vídeo), televisão, em mídia eletrônica, além de fotos, cartazetes, anúncios veiculados em nossa revista ou em qualquer outra forma de mídia impressa e eletrônica em território nacional, pelo período indeterminado a contar da data da correspondente divulgação, reservando-se ao representante legal da criança participante apenas o direito de ter o nome da criança sempre vinculado ao material produzido e veiculado e/ou publicado por qualquer outra forma de mídia impressa e eletrônica, ou qualquer outro suporte físico, digital ou virtual existente ou que venha a existir, para fins de divulgação dos resultados do sorteio.
16. Eventuais dúvidas, reclamações e sugestões sobre a promoção deverão ser encaminhadas para o e-mail: mundodacrianca.brincar@gmail.com e serão respondidas no prazo mínimo de 48hrs.
17. A Fábrica Mundo da Criança reserva todo o direito de mudar as regras, cancelar, suspender ou paralisar a promoção em qualquer momento, caso haja necessidade por quaisquer que sejam os motivos, sempre respeitando o direito de todos os participantes da promoção!

18. A Fábrica Mundo da Criança não se responsabiliza por despesas com deslocamentos, bem como retirada do prêmio ou qualquer custo do ganhador e responsável. Se preferir o envio via transportadora, o responsável do(a) ganhador(a) terá que arcar com o custo do frete.

19. Os comentários em nossa página do Facebook, poderão ser analisadas, deletadas e os usuários banidos, se assim acharmos necessário.

20. Os participantes dessa promoção ficam cientes e acordados com o regulamento acima descrito.

Mais informações: https://www.facebook.com/mundodacrianca.brinquedos