domingo, 21 de dezembro de 2014

Conheça os brinquedos mais desejados do Natal

De acordo com a Abrinq (Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos), os bonecos são os líderes do mercado de brinquedos, representando 18,1% do setor.
"Eles ainda são os brinquedos mais procurados para as crianças, pois têm maior apelo no público infantil", afirma Marcelo Mouawad, diretor comercial da distribuidora Semaan.
Para as meninas, a grande aposta deste fim de ano são as bonecas da animação "Frozen - Uma aventura congelante". Já para os meninos, os bonecos do filme "Os Vingadores" são a sensação deste Natal.
Mas não são apenas os personagens desses filmes que encantam as crianças. De acordo com os lojistas e fabricantes consultados, os demais produtos estampados pela princesas Elsa e Anna, da animação "Frozen", ou por Capitão América, Hulk e os demais heróis da Marvel fazem sucesso.

Fonte: Uol

Comprar BRINQUEDOS para o Natal sem estresse é aqui! Estacionamento próprio e sem filas! É diversão para toda a família!www.mundodacriancars.com.br Orçamento? Ligue para: 51 3568 2145 / 3568 2133 / 3554 0218




quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

O brinquedo educativo certo para cada idade

Fica perdida diante da prateleira sem saber qual a melhor opção? Confira as dicas e acerte na escolha


Crianças brincando
Taí um mercado dinâmico, o dos brinquedos, que a cada momento apresenta uma novidade, mais divertida, surpreendente, que encanta tanto a turma miúda como a adulta.
Mas para agradar a galerinha, não é preciso investir em presentes caros, cheios de botões, luzes, controle-remoto e alta tecnologia, não. Muitas vezes, as opções simples agradam em cheio e despertam a coordenação motora, o raciocínio e tantos outros aspectos importantes para o desenvolvimento infantil.
“Os brinquedos educativos são excelentes ferramentas, que estimulam e motivam a educação, através do prazer, da diversão e alegria. Eles permitem explorar, descobrir, imaginar e até comunicar”, comenta Maria Angela Barbato Carneiro, professora da Faculdade de Educação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e coordenadora do Núcleo de Cultura e Pesquisas do Brincar (PUC-SP).
No universo infantil, em que a imaginação reina absoluta, até mesmo uma panela, um pedaço de tecido ou um chapéu podem se transformar em objetos lúdicos. “Para os bebês, o próprio corpo é um brinquedo”, exemplifica a professora.
Ela observa que o objeto lúdico só terá realmente valor se servir de ferramenta para estreitar o relacionamento entre adultos e crianças, promovendo o desenvolvimento psicomotor, social, afetivo e cognitivo.
E aí entram bonecas, chocalhos, instrumentos musicais... Vale tudo para criar momentos de pura alegria e diversão com o pequeno.
Mas se você não sabe qual a melhor escolha, preparamos um miniguia com todas as dicas, conforme a faixa etária:
  • De 6 meses a 1 ano: brinquedos de berço, chocalhos, pequenas bolas (8 cm), enfim, opções que estimulem a parte sensorial e motora da criança.
  • De 1 a 2 anos: aqueles que desenvolvam a parte motora, de puxar e empurrar, carrinhos, caixas para colocar objetos dentro, opções de tecido lavável, para banho, livrinhos com figuras.
  • De 2 a 3 anos: para melhorar a atividade motora, sobretudo andar, como: triciclos, bolas, puxar e empurrar, carregar, bonecas e bonecos (bebês), brinquedos de encaixe simples.
  • De 3 a 4 anos: carrinhos, bonecas e seus acessórios, objetos de casa, carrinhos com pedal, fantoches, dedoches, areia, argila, tintas guache, folhas grandes de papel.
  • De 4 a 6 anos: brinquedos que estimulem a fantasia e criatividade (como bonecas, carrinhos, fantoches, dedoches), jogos de regras simples, pequeno construtor, corda.
  • De 6 a 8 anos: jogos com regras mais complexas, que envolvem experimentação, assim como patinetes, patins, bonecos (heróis), bonecas (mulheres) e seus complementos.
  • De 8 a 10 anos: jogos de experimentação, laboratórios, jogos de construção ou de regras, pebolim, skate, jogos de bola com regras, diabolôs, aeromodelos.
E na hora de comprar...
Sempre é bom ficar de olho em algumas características dos brinquedos educativos. A primeira regrinha é conferir se há o selo do Inmetro e verificar as normas de segurança do fabricante.
Preste atenção, também, na qualidade do material. Se o brinquedo for dado com a perspectiva de servir para uma única criança, o material pode ser mais frágil, mas quando usado por várias deve ser bastante resistente, pois qualquer dano tende a causar riscos irreparáveis.
Se o brinquedo for confeccionado na madeira, saiba que, em geral, são mais resistentes. Só atente se não existem farpas e rebarbas no acabamento.
A bióloga Francine Prado, de 28 anos, adora presentar seu sobrinho Lucas, de 7 anos. Mas ela costuma escolher brinquedos que favoreçam brincadeiras em grupos ou, ao menos, duplas.
“Acho que a criançada hoje em dia tende a ficar fechada no seu mundinho, se isolam em jogos eletrônicos e interagem pouco. Por isso, escolho opções que exijam a participação de várias pessoas, como os jogos de tabuleiro. Aí, jogamos juntos e a diversão é garantida. Acho que esses momentos nos aproximam e criam oportunidades para um bate-papo muito legal”, conta.
A professora Maria Angela lembra que, dependendo do grau de dificuldade, a partir dos 3 anos de idade, os jogos eletrônicos também podem ser educativos, assim como os de montagem e quebra-cabeças.
“E não adianta pais e parentes oferecerem brinquedos que não tiveram oportunidade de tê-los na sua infância, porque podem não ser do interesse dos pequenos nem adequados ao seu desenvolvimento. O mais importante é observar e estimular as habilidades e interesses que a criança tem”, aconselha.
Fonte: disneybabble
(Fotos: Getty Images )

domingo, 30 de novembro de 2014

Brincando de casinha

Um fogão de brinquedo que acende a luz do forno; uma geladeira com água na porta! Os ingredientes perfeitos para uma deliciosa tarde de faz de conta!

Esta semana minha filha Catarina pegou uma gripe que a deixou bem caidinha. Dores de garganta, febre, mal-estar já são difíceis para um adulto, imaginem então para uma criança. Sem a possibilidade de sair de casa, precisei colocar a criatividade para funcionar, para que a pequena se distraísse.
Em um dia, a visita dos avós; no outro, tirei a tarde inteira para dar colo, atenção e todo o carinho que ela solicitava; e no outro, Catarina recebeu um presente que reavivou seu ânimo – um fogão e uma geladeira Princesas da Xalingo (tão bacanas que passamos horas fazendo comidinhas!).
A pequena encontrou as caixas logo que acordou. Eram 7 horas da manhã (cedo para seus padrões habituais, mas ela estava com tanta tosse que não conseguiria dormir mais) e achei que ela ficaria mal-humorada por ter dormido pouco. Mas no momento em que ela abriu os pacotes, não conseguiu parar de exclamar:
- Mãe, são das Princesas, que lindos!
- O fogão funciona de verdade e tem luz no forno, igual ao seu!
- A geladeira tem luzinha também, e água que sai da porta (com barulhinho!). E vem com um monte de coisas! Tem certeza de que é tudo para mim?
A verdade é que ela ficou encantada, sem saber por onde começar (porque de fato tanto o fogão quanto a geladeira vêm com muitos acessórios). Panela, frigideira, talheres, copos, xícaras e outros utensílios de cozinha acompanham o fogão; já o refrigerador “side-by-side” (com duas portas, que abrem uma para cada lado, simplesmente lindo!) vem com latinhas de suco, caixinhas de leite, para fazer bolo, pudim, ovos, fôrmas de picolé... Ou seja, os produtos são completos, com tudo o que a criança precisa para brincar de comidinha.
Claro que brincamos o dia inteiro de casinha e “comi” uma quantidade enorme de pratos “feitos” por Catarina. Com muito custo ela me deixou cozinhar um pouquinho também (percebi algo muito legal: o fogão só “liga” quando a panela está cheia, porque fica pesada e aciona o sensor. Bem sacado!).  Dizem que o ovo frito que preparei estava delicioso!
Notei que para Catarina o grande interesse nos brinquedos era o fato de que representavam o mundo real. Ou seja, ali, naquele mundinho, ela era a dona da casa e podia fazer exatamente o que eu e meu marido fazemos na cozinha. Reparei até que ela pegou um paninho para abrir o forno e não queimar a mão (olha quanta coisa as crianças aprendem imitando?).
Para mim, foi muito interessante ver como os brinquedos trabalhavam sua imaginação e noções do dia a dia (desde guardar os alimentos na geladeira até o preparo de cada receita).
Conclusão: adoramos o fogão e a geladeira Princesas da Xalingo (aliás, Catarina já teve vários brinquedos da marca, todos muito legais e de ótima qualidade – recomendo!).
 Fonte: disneybabble

Nívea Salgado

Nívea vem de uma família de médicos e, por crescer em meio à área da saúde, escolheu a Odontologia como profissão. Por conta da imensa curiosidade, digna da geminiana, se dedicou à carreira acadêmica: fez mestrado, doutorado e pós-doutorado. Até que se tornou mãe e encontrou na maternidade o grande amor. “Descobri que cuidar de um filho ia muito além do que se pode aprender com os livros". Da sua experiência pessoal, do aprendizado diário que a convivência com a filha Catarina proporcionou, surgiu seu blog – o Mil Dicas de Mãe. Hoje Catarina tem 2 anos e meio e Nívea sabe que os pais têm um grande presente nas mãos: a possibilidade de apresentar um novo mundo mágico para as nossas crianças.
(Imagens: Arquivo pessoal)

terça-feira, 11 de novembro de 2014

O que faz uma criança feliz?


A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) EO Instituto Datafolha ouviram 1.525 Crianças brasileiras de 4 a 10 Anos, de TODAS como classes Econômicas, EM 131 municípios. O Trabalho FOI Realizado com base de nenhum Instrumento de avaliação de Qualidade de Vida AUQEI EO Desenho amostral Elaborado com base de não Censo de 2010 (IBGE). A Pesquisa Sobre ESTADOS emocionais FOI quantitativa, com Abordagem domiciliar. Teve Como Objetivo Conhecer Mais profundamente OS DESEJOS e Necessidades dos patients pediátricos, parágrafo Que o Médico POSSA, Cada Vez Melhor, Orientar quanto NAS FAMILIAS Consultas.
Leia also:
Como Crianças responderam Uma Questão Aberta: "O Que VOCÊ Mais Gösta de Fazer quando Localidade: Não ESTA na Escola?". Disso de Além, were Propostas 26 situations, parágrafo that utilizando Uma escala visuais Pontos de CINCO (Cartão "de carinhas"), manifestassem Seu Estado de alegria OU tristeza Frente a Uma Cada. Um respondeu Criança na Presença do Responsável, APOS SUA autorização.
O Que sentem? Do Que gostam?
O Que Deixa uma Criança "muito alegre" e "alegre" E o dia do Seu Aniversário (96% DAS respostas), praticar Esporte (94%), amigos OS COM Brincar (92%), como Férias Escolares (91%), Assistir televisão (90%). A SITUAÇÃO NA qua se Sente "muito triste" e "triste" (71%) E Ficar Longe da Família.
Mas Independente da Natureza, Os Primeiros Lugares ficaram com Jogar bola (33%), Brincar de boneca / boneco (28%) e TV Assistir (26%). Andar de bicicleta Veio a Seguir, com 19%. O pega-pega ficou 17%. Empataram, com 14% DAS preferencias, o Esconde-Esconde, Brincar de CARRINHO e vídeo game. Na Sequência, o Estação Brincar de casinha (10%) e sem Computador (9%). Apareceram also soltar pipa e Desenhar / pintar (6%), corda Pular (5%), Brincar de corrida, Brinquedos COM (SEM especificar QUAL), animais de estimação e Estudar (4%). 

Crianças dependem Mais do Convívio familiarizado that de Brinquedos Para ser feliz (Sally Wynn / CC)
Convivência
- O diretor E o carinho.
- O que Faz uma Criança feliz Localidade: Não E o Brinquedo, E Brincar, E Conviver com uma Família e Amigos. Os Pequenos Localidade: Não São consumistas.
- O Núcleo familiarizado proporciona Sensações alegres e prazerosas
- Fica clara a grande importancia dada Pelas Crianças AO Convívio - Tão decisivo par o Seu Desenvolvimento emocional e cognitivo -, Não apenas com uma nuclear Família, mas also uma "estendida".
- 87% dos Entrevistados se definem Como "Alegres" alegres MUITO OU "Quando estao com OS Avós, na mesa com a Família e quando pensam na Mãe.
- 83% se dizem also "alegres" ou "muito alegres" Quando brincam com OS Irmãos e 78% quando pensam nsa pais.
- Criança Gösta de Estar com Criança. ATE POR ISSO FICA Tão feliz sem Aniversário.
- 47% dos Entrevistados informaram that ficam "tristes" ou "Muito Tristes" sozinhos quando brincam. Um Ser incentivada convivência DEVE.

Crianças São Felizes quando estao com Otras Crianças (Lighttruth / CC)
Como Brincadeiras Tradicionais trazem alegria Mais
- Apesar da forte Presença da TV e dos Eletrônicos los Geral (o Computador E de suma importância principalmente between OS Mais Velhos), Não apenas AINDA EXISTE o Brasil das Brincadeiras Tradicionais, Como essas AINDA trazem Mais alegria fazer that como Propostas atuais Mais de Diversão / lazer . E de suma importância incentivá-las.
- Brincadeiras de rua, apesar das limitações impostas Pela Violência urbana, e MESMO Que Localidade: Não praticadas, estao los Primeiro Lugar nenhum DAS Desejo Crianças.
TV, Computador e Falta de Otras opções
- Em Geral, uma Criança se Volta para o Brinquedo Eletrônico quando ESTA Sozinha. Mas se para Oferecida Uma Alternativa, prefere.
- Eletrônicos de Os Entram na vida da Criança Muito Cedo e ganham Espaço excessivo quando faltam alternatives. Os Pequenos acabam se acostumando, adquirindo o Hábito.
- É Preciso oferecer Otras Experiências, CRIAR MECANISMOS parágrafo Que possam Fazer Atividades Indicato à Faixa etária.
E Muito Importante Que como Crianças, Pequenas DESDE, sejam incentivadas à pratica esportiva e Demais bons Hábitos.
Atividades indivíduos São hum pouco Mais Comuns (85%) como that Sociais (74%) - mas essas devem also Ser incentivadas, POIs CRIAM SENTIDO de Sociedade, compartilhamento, Ganhar e Perder, respeitar, Características IMPORTANTES, that surgem Pará como PESSOAS não Seu Crescimento e Desenvolvimento atraves das Brincadeiras.
Como Crianças Brasileiras TEM Uma Imagem de si mesmas Atual e futura Muito boa e com Confiança
- A maioria FICA alegre quando Vê Uma FOTOGRAFIA SUA (86% alegria) e quando se imagina adulta (87%).
O Futuro e Bem-vindo
- 87% dos Entrevistados ficam "alegres" ou "muito" Quando pensam los si mesmos Como PESSOAS Grandes. A SITUAÇÃO FOI PROPOSTA parágrafo OS Que Tem Entre Seis e 10 Anos.
  • Direitos Autorais: Creative Commons - CC BY 3.0